Drashá da Semana: Parashat Devarim

Rabino Uri LamElu Ve-Elu, estas e estas são as palavras

Hoje em dia vivemos mergulhados na Época da Informação. Acreditamos que o mundo inteiro pode ser alcançado por um clique, de qualquer lugar, no mesmo segundo. Somos bombardeados por palavras criadas, comentadas e discutidas instantaneamente o tempo inteiro.

Em meio a este turbilhão de informações, damos uma parada no Shabat e lemos na Torá: “Estas são as palavras ditas por Moisés a todo Israel.” Que interesse podem ter estas palavras, ditas há mais de 3 mil anos, para nós, judeus modernos e tão “informados”?

Já é difícil imaginar que, mesmo naquele tempo, todo um povo se dispusesse a parar para escutar Moisés proferir um discurso tão longo – praticamente todo o último livro da Torá − depois de 40 anos de peregrinação, quando a vontade era chegar e montar acampamento na Terra Prometida. Imaginem vocês, ansiosos pelo jantar de Shabat, enquanto o rabino, em uma noite inspirada, em vez de falar por alguns minutos, decide estender seus comentários sobre a parashá por algumas horas. Agora imaginem que ele se entusiasmou e resolveu comentar toda a Torá, por um mês inteiro! Por outro lado, dá para entender que Moisés quisesse compartilhar com a nova geração todo o processo vivido pelas gerações anteriores. Para que entendessem que iriam receber por herança a experiência e a sabedoria acumulada desde os tempos dos patriarcas e matriarcas, que teriam por obrigação transmitir às gerações futuras. Moisés dirigiu suas palavras, portanto, a todo Israel, a cada um de nós, de todos os tempos.

De tudo o que poderia ter dito, Moisés escolheu dizer “estas palavras” em um discurso de memória, de recordações que saltavam com fluidez à língua antes pesada. Mas como seria se, em vez disso, alguns escribas tivessem anotado os fatos passados em pergaminho para serem lidos no momento apropriado por Moisés diante de todos? Foi assim que Ezra faria mais adiante com a própria Torá de Moisés, no retorno a Israel após o exílio na Babilônia, quando a trouxe para ser lida diante dos “homens e mulheres capacitados a compreender o que lhes fosse apresentado” (Neemias 8:2). Será que não teríamos assim uma Torá uniforme, uma única voz, uma única visão, uma única verdade? Pode ser. Mas não foi assim. Não era para ser assim. Uma Torá com uma voz única? Não é esta a Torá de Moisés.

A Torá de Moisés apresenta em diversos momentos várias versões para o mesmo fato. Por exemplo: na leitura desta semana Moisés conta que, incapaz de liderar o povo sozinho, teve a ideia de delegar ao povo a escolha de “homens sábios, inteligentes e conhecidos de suas tribos”, consulta o povo para saber se esta é a melhor decisão e só a leva adiante após aprovação popular; mas no livro do Êxodo a sugestão de delegar poder foi dada a ele por Itró, seu sogro! Mais impressionante ainda: aqui Moisés nos conta que, antes de chegarem a Israel, o povo pediu para que antes fossem enviados olheiros a fim de conhecerem a terra, o idioma, os caminhos e cidades que encontrariam pela frente. No entanto, lemos no livro de Números que foi Deus quem ordenou o envio de olheiros. Afinal, qual dos textos está certo? E se um deles for o certo, significa que o outro está errado? Há textos errados na Torá?

Em ambos os casos, Moisés, ao se dirigir ao povo antes da chegada a Israel, atribui ao próprio povo – não a Itró, nem mesmo a Deus − as decisões sobre o seu próprio destino. Em outras palavras: Moisés rejeita a autoridade única, a verdade única, e delega a cada pessoa, a cada um de nós, a autoridade sobre como nos conduzirmos em Israel.

Conta-nos o Talmud que certa vez os discípulos de Shamai e Hilel divergiram por três anos sobre quais palavras ditavam a lei. Uns diziam que eram as palavras de Hilel, mas os outros diziam que eram as de Shamai. Foi quando a voz de Deus se manifestou e afirmou: “Estas e estas são palavras do Deus vivente”. Estas são as palavras que Moisés falou a toda Israel.

Rabino Uri Lam
SIB – Sociedade Israelita da Bahia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s