Entenda a Operação Margem de Proteção

Quarenta por cento da população de Israel – cerca de 3,5 milhões de pessoas – estão atualmente sob ataques dos foguetes de Gaza. Durante a manhã de quarta-feira, 9 de julho, 45 foguetes foram lançados a partir de Gaza. Desde 30 de junho foram lançados 450 contra Israel e 58 foram interceptados pelo sistema Iron Dome. Num período de 24 horas, os moradores das seguintes cidades e regiões foram forçados a procurar abrigo depois que as sirenes soaram:

· Jerusalém (3 foguetes atingiram Jerusalém Hills).
· Tel Aviv (Atingido três vezes)
· As cidades do sul de Beer Sheva, Ashdod e Ashkelon (diversas vezes atacadas).
· Comunidades no sul de Israel, incluindo a cidade de Sderot, Ofakim, Sha’ar HaNegev, Sdot Negev, o Conselho Regional de Eshkol, Merhavim, Kiryat Malachi, Hof Ashkelon e Be’er Tuvia (atacados diversas vezes).
· Cidades da região central de Israel, incluindo Rehovot, Herzliya, Gadera, Ramat Hasharon, Yavne, Caesarea, Binyamina, Rishon Lezion, Hadera, Givatiyim, Bat Yam e Holon

A ameaça do Hamas

A ameaça do Hamas

Houve danos materiais, inclusive de incêndios causados pelos foguetes e estilhaços. Devido a grande preparação da defesa civil de Israel, foram notificados apenas ferimentos leves. Por exemplo, nove civis ficaram levemente feridos em Ashdod e as zonas próximas. Além disso, um soldado israelense foi levemente ferido quando os terroristas tentaram infiltrar Israel para realizar um ataque. Eles chegaram através do mar, perto de Zikim. As IDF neutralizaram os atacantes.

O Primeiro Ministro Benjamin Netanyahu, na noite de terça feira 8 Julho, emitiu a seguinte declaração:

“Nos últimos dias, os terroristas do Hamas dispararam centenas de foguetes contra civis israelenses. Nenhum outro país vive sob uma ameaça tão grande, e nenhum país aceitaria tal ameaça. E Israel não é excepção. Israel não tolerará o disparo de foguetes contra nossas cidades e vilas. Temos, portanto, expandido nossas operações contra o Hamas e as outras organizações terroristas em Gaza. Isto vem depois de nossos repetidos esforços para restaurar a calma e foram atendidas com o maior lançamento de foguetes do Hamas. Israel não está ansioso para a guerra, mas a segurança dos nossos cidadãos é a nossa principal preocupação. Israel tem como alvo terroristas do Hamas, e não civis inocentes. Por outro lado, o Hamas tem como alvo civis israelenses, enquanto se escondem atrás de civis palestinos. O Hamas, por isso, tem total responsabilidade por qualquer dano que aconteça a civis israelenses e palestinos também. Estamos determinados a dar aos nossos cidadãos a segurança que eles merecem”.

Ataques de foguetes pelo Hamas

A última rodada de disparos de foguetes a partir da Faixa de Gaza em Israel começou em 12 de junho, dia em que três adolescentes israelenses foram sequestrados e assassinados. O tiroteio intensificou significativamente a partir do dia 30 de junho, antes mesmo dos corpos dos adolescentes serem encontrados mais tarde naquele dia e antes do assassinato do jovem palestino Muhammad Abu Khdeir. Os lançamentos de foguetes atingiu um pico na segunda-feira, 7 de Julho, quando nada menos que 80 foguetes foram lançados á cidades israelenses. Entre o dia do seqüestro (12 de Junho) e hoje (8 de Julho, 06:30 hora Israel), 284 foguetes foram lançados contra Israel a partir da Faixa de Gaza. Muitos deles foram disparados diretamente pelo braço militar do Hamas. Hamas é responsável pela escalada. O Hamas é também responsável pelos foguetes lançados por outras organizações, em virtude do fato de que ele governa Gaza desde 2007.

Crianças se protegem dos foguetes do Hamas

Crianças se protegem dos foguetes do Hamas

 

A resposta de Israel

Israel mostrou grande contenção ao longo de três semanas de lançamento de foguetes contínuo a partir de Gaza. A resposta medida de Israel foi destinada a restaurar a calma sem uma grande ação militar. No entanto, em resposta aos ataques incessantes do Hamas contra a população civil de Israel, o Governo israelense decidiu, em 7 de julho o início da operação “Margem de proteção”. Israel não pode tolerar uma situação em que milhões de seus cidadãos são obrigados a viver sob uma barragem de mísseis. O objetivo da operação é restaurar a estabilidade e tranquilidade aos residentes de Israel, para prejudicar as capacidades do Hamas e destruir infra-estruturas terroristas propositadas contra o Estado de Israel e seus cidadãos.

Ações de Israel são medidas e direcionadas aos lançadores de mísseis e da infra-estrutura terrorista do Hamas e a outras organizações terroristas, que transformaram a Faixa de Gaza num centro de ataques contra Israel. Israel tem o direito de autodefesa e é obrigado a agir de forma decisiva quando seus cidadãos estão sob ataque. Israel continuará agindo o quanto for necessário até que a tranquilidade dos seus cidadãos seja alcançada. O Departamento de Estado dos EUA afirmou (7 de Julho) que “condenamos fortemente o contínuo lançamento de foguetes contra Israel, mas também apoiamos o direito de Israel de se defender contra esses ataques.”

Israel sob ataque

Israel sob ataque

 

Mensagens

Israel deixou a Faixa de Gaza completamente na Desocupação de agosto de 2005. Desde então, não houve qualquer presença israelense, civil ou militar, na Faixa de Gaza, nem Israel tem quaisquer reivindicações territoriais lá. No entanto, o Hamas, que governa a Faixa de Gaza, continua a iniciar ataques terroristas contra cidadãos israelenses. O Hamas e as outras organizações terroristas na Faixa de Gaza lançam contra comunidades dentro de Israel, com a intenção de matar civis. Eles também não hesitam em lançar foguetes a partir de concentrações de civis palestinos, assim, cinicamente usando moradores de Gaza como escudos humanos para suas atividades terroristas.

O Hamas não pára no lançamento indiscriminado de foguetes; está preparando mais ataques terroristas usando túneis. Em 7 de julho, o desastre foi evitado quando um grande túnel, que o Hamas estava planejando em usar para realizar um grande ataque terrorista em Israel, explodiu. O Hamas é similar em suas características, sua ideologia e seus métodos operacionais a outras organizações extremistas islâmicas no Oriente Médio e em outros lugares, como a ISIS, a Al-Qaeda, o Hezbollah, Boko Haram e organizações no Chifre de África. O Hamas aspira a estabelecer um estado islâmico caracterizado por violações dos direitos humanos, repressão violenta das minorias, das mulheres e não-muçulmanos, anti-semitismo e do assassinato de judeus.

O Presidente Mahmud Abbas da AP deve dissolver de imediato a sua parceria com o Hamas. Não há bloqueio à Faixa de Gaza; bens entram e saem dali livremente, desde que o lançamento de foguetes do Hamas não os impeçam. Por exemplo, no Domingo 6 de julho, 137 caminhões que transportavam mercadorias e 218 toneladas de gás entraram em Gaza a partir de Israel. É importante lembrar que Israel agiu rapidamente e com determinação para localizar e prender os assassinos de Muhammad Abu Khdeir. Expressões fortes de condenação foram ouvidas em todo o espectro político, incluindo a de Rachel Frenkel, a mãe de um dos adolescentes israelenses assassinados.

A Organização Terrorista Hamas

O Hamas é reconhecida como uma organização terrorista pelos Estados Unidos, a União Europeia, Canadá, Austrália e outros países. O objetivo do Hamas é a destruição do Estado de Israel e ele vê civis israelenses como alvos legítimos de disparos indiscriminados de mísseis, ataques suicidas, seqüestros e assassinatos. O Hamas é responsável pelo rapto e assassinato de três adolescentes israelenses em 12 de junho. Este ataque cruel forneceu mais uma prova de que o Hamas não abandonou o caminho do terrorismo direcionado contra cidadãos israelenses – incluindo mulheres, crianças e idosos.

Hoje, o Hamas possui cerca de 12.000 mísseis de vários alcançes que ameaçam cerca de 3,5 milhões de cidadãos israelenses (cerca de 40% da população do país). Desde a retirada israelense em 2005, cerca de 9.000 foguetes e 5.000 morteiros foram disparados contra Israel a partir da Faixa de Gaza. Nos vinte e um anos que se passaram desde que Israel e a PLO (Organização da Liberação da Pelestina) assinaram a Declaração de Princípios, em 1993, o Hamas perpetrou mais de 80 ataques suicidas, em cerca de 1.000 israelenses foram assassinados. O Hamas está envolvido em cavar túneis de Gaza até Israel, que são usados para realizar ataques terroristas, seqüestrar israelenses e infiltrar terroristas em território israelense.

O compromisso do Hamas com o caminho do terror podem ser encontrados tanto nas declarações de seus líderes, passados ??e presentes, que incentivam os disparos e seqüestro de civis israelenses e em seu estatuto social (citado no final deste artigo). O Hamas investe enormes recursos no desenvolvimento de armas, com ênfase na alta trajetória de fogo, e no contrabando de vários tipos de armas e material de guerra na Faixa de Gaza. Por exemplo, em março passado as forças interceptaram o navio Klos-C, que estava carregando um enorme carregamento de armas e material, incluindo dezenas de mísseis de longo alcance destinados ao Hamas.

Trechos do Estatuto Social do Hamas

• “Não há solução para a questão palestina exceto através da Jihad”. [Artigo 13]
• “Israel existirá e continuará a existir até que o Islã o destrua, da mesma forma que obliterou outros antes dele” [Introdução]
• “Ele [Hamas] se esforça para levantar a bandeira de Alá sobre cada centímetro da Palestina [ou seja, todos de Israel] …” [artigo 6 º]
• “A nossa luta contra os judeus é muito grande e muito séria…. O Movimento [Hamas] é apenas um esquadrão que deve ser apoiado por mais e mais esquadrões deste vasto mundo árabe e islâmico, até que o inimigo desapareça e a vitória de Alá seja realizada. “[Introdução]
• “O Profeta, Alá, que deus o abençoe e lhe conceda a salvação, disse:” O Dia do Juízo não virá até que os muçulmanos combatam os judeus (matando os judeus), quando o judeu se esconder atrás de pedras e árvores. As Pedras e Árvores dirão ó Moslems, ó Abdullah, há um judeu atrás de mim, venha matá-lo. ‘”[Artigo 7]

Prefeitura de Jerusalém abrindo todos os abrigos

A Prefeitura de Jerusalém está se preparando para todos os cenários possíveis e decidiu abrir os abrigos anti-aéreos públicos em toda a cidade durante as próximas horas. Uma lista de abrigos serão publicados no site do município. O município também recomenda que os moradores abram seus abrigos privados. No caso de uma sirene ou explosão, os moradores devem ir para a área mais próxima protegida dentro de um minuto e meio e feche todas as portas e janelas e ficar dentro de casa por 10 minutos. Todos os moradores são convidados a continuar a ouvir as instruções do Comando Israelense. A partir de agora, todos os eventos municipais serão realizados conforme o programado.

 

 

Texto via Pletz. Negritos e imagens do editor.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s