Hospital une israelenses e palestinos

Israel - Palestina - Paz - Shalom - Salam

Enquanto os ataques do Hamas continuam sendo feitos a partir de Gaza, com metade do Estado de Israel sob ameaça, muitos habitantes palestinos de Gaza continuam recebendo tratamento médico em Israel.

O Rambam Hospital presta assistência médica a pacientes de Gaza e da Autoridade Palestina (AP) durante todo o ano. Atualmente, pacientes hospitalizados incluem 3 adultos e 8 crianças de Gaza e 3 adultos e 2 crianças da Autoridade Palestina. Além disso, Haifa tem 7 pacientes da Autoridade Palestina sendo tratados nos ambulatórios. A maioria das crianças hospitalizadas estão na área de oncologia, nefrologia e enfermaria pediátrica. A maioria está na faixa dos três anos de idade estão acompanhados por parentes. A cooperação médica entre Israel e a Autoridade Palestina continua, apesar dos constantes ataques do Hamas contra Israel. De acordo com Yazid Falah, coordenador para os pacientes palestinos, “apesar da situação de insegurança, e apesar do fato de que ambos os lados estão lutando, tudo continua como sempre na área da cooperação médica, mesmo em tempos de guerra nós continuamos a receber os pacientes e dar-lhes o cuidado que precisam, sejam eles crianças ou adultos”.

Enquanto a rotina médica é mantida, há uma sensação de tensão no ar. Falah está em estreito contato com os pacientes palestinos. Ele compartilha que eles se sentem presos em uma situação bem complicada. “Por um lado, eles estão em Israel e observam as conseqüências das ações do Hamas e de como as pessoas se machucam deste lado da fronteira. Por outro lado, as suas famílias em Gaza estão sob os contra-ataques de Israel e temem pela vida de seus entes queridos”, disse Falah, “há aqueles que me disseram que têm vergonha do que Gaza está fazendo, e outros dizem que eles têm medo de como as pessoas vão falar e olhar para eles aqui no hospital. Outros disseram que estão com medo de voltar para Gaza. Outros simplesmente não sabem o que pensar. Alguns fizeram contato com suas famílias e souberam de danos materiais e vítimas perto de suas casas. No final do dia, eles simplesmente querem viver em paz, mas é claro que para eles a situação mudou. Eles acreditam que a situação só vai piorar”.

Apesar das complicações da realidade, o fator humano continua a ser um vencedor. O hospital se tornou um segundo lar para esses pacientes. Israelenses e palestinos, literalmente, vivem juntos devido às longas internações. Pais e crianças estão nos mesmos quartos, participam de atividades, tratamentos e começam a desenvolver relações sólidas. Eles estão doentes e vão se curar juntos. “Quando as hostilidades aumentaram, os pacientes palestinos temiam uma recepção fria”, diz Falah, “explicamos que isso nunca aconteceria em um hospital israelense. Aqui você vê as pessoas e não as nacionalidades. Muitas vezes, os pacientes israelenses chegam aos seus vizinhos palestinos para ajudá-los e para eles se sentirem mais confortáveis e incentivados. Eventualmente, todos estão no mesmo barco.”

Pletz

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s