Drashá sobre Parashat Chaiê Sarah

Marcos Wanderley

 

Parashat Chaie Sara

Esta Parashá tem por título – “As vidas de Sara”

“As vidas de Sara são cem anos e vinte anos e sete anos, os anos das vidas de Sara

A parashá começa com a morte de Sara em Kiriat Arbá na terra de Canaã e Avraham adquiriu a cova de Machpelá ao lado de Mamre (Hebron). No capítulo seguinte, Avraham retom ao seu cotidiano preocupando-se com o casamento de Itzchak, pois havia a manutenção de sua descendência, então ele solicita a um servo que fosse a sua terra natal a fim de buscar uma mulher para Itzchak (Isaque) seu filho. Busca-se uma orientação divina para esta escolha. A água que também é símbolo de vida e transparência, marca o sinal da escolha, já que o ato de servir ao servo de Avraham mostrou a humildade e a generosidade desta mulher. Esta mulher é Rivka (Rebeca). Itzchak encantou-se por Rivka e logo este acontecimento o ajudou a diminuir a dor da perda de sua mãe. A posteriori, Avraham casa-se com Keturá. Desta, Avraham teve seis filhos. Avraham deu tudo o que o possuía a Itzchak. Avraham viveu 175 anos. Ele foi sepultado por Itzchak e Ishmael ao lado de Sara. Então, o Eterno abençoou a Itzchak. E a parashá termina com a morte de Ishmael que viveu 137 anos e teve 12 filhos.

Esta parashá nos mostra a importância de se ter uma família e a harmonia que esta nos proporciona. Embora seja ressaltada a formosura de Rivka, está claro que a importância de uma mulher na vida de um homem não se resume somente a isto, mas à estrutura sentimental e familiar que uma mulher proporciona ao homem. A descendência foi algo bem enfatizado nesta parashá para que a família se perpetue de geração a geração.

A sepultura marca uma identidade dentro da vida do povo judeu. Houve nesta parashá toda uma descrição com riqueza de detalhes, legitimando a posse de um território através da escolha do lugar onde a matriarca dos filhos de Israel fora sepultada. Avraham, Itzchak e suas mulheres exceto Rachel (Raquel) foram sepultados neste mesmo local, enfatizando-se o caráter da perpetualidade através do caráter definitivo da morte, evidenciando-se que, mesmo se um povo for expulso daquele local, seus mortos permanecerão para sempre.

Por que “as vidas de Sara”? – O Midrash sinaliza a multiplicidade das vidas de Sara na Mesopotâmia, em Canaã, no palácio do Faraó, junto a Avimelech, estéril, depois mãe de Itzchak que dará a descendência a um povo. Isto também nos ensina que todos nós passamos por várias experiências e obstáculos que vão aparecer. Devemos estar atentos às necessidades da vida e ao bem comum dos que estão ao nosso redor. Portanto, a busca do esforço pela harmonia deve ser incessante, além de termos o alicerce na Torá e na proteção do Eterno.

Shabat Shalom Umevorach

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s