Tazria (Vayicrá – Levítico 12:1-13:59)

Marcos “Moti” Wanderley

Parashat Tazria

Queridos Chaverim ve Chaverot. Este Shabat será Rosh Chodesh, um Shabat muito especial, pois começa o mês de Nissan que era o primeiro mês na contagem bíblica. Por esta razão, na manhã do Shabat, retiraremos três Sifrei Torá: o primeiro rolo, a parashá Tazria; o segundo, o trecho referente a Rosh Chódesh; e o terceiro, o trecho referente ao Shabat haChódesh.

Esta é 27ª porção da Torá e que está no livro Vayicrá – Tazria significa semear. Esta porção começa com os preceitos sobre a concepção de quando é menino ou menina. Quando a mulher dá à luz um homem ela fica impura por 7 dias e no oitavo dia será feita a circuncisão. Serão 33 dias cumprindo os dias da purificação e se for menina serão 66 dias. Depois desse período tem que fazer oferta de elevação pelo filho ou pela filha com um cordeiro e um filhote de pombo ou rola por sacrifício de pecado à porta da tenda da reunião, ao Cohen.

O Cohen é responsável para observar quem está com chaga na pele para declará-lo impuro. Depois de 7 dias, o Cohen fará nova verificação para avaliar se continua impuro ou não e se a chaga escurecer e não se estender o Cohen o declarará puro, caso contrário o declarará impuro, aí será lepra. Há características descritas com riqueza de detalhes pela Torá para que o Cohen avalie se é ou não lepra e quando se transforma em chaga branca será declarado puro. Também há a lepra que brota na sarna – é sinal de impureza. E quando a macha não se estender, é a cicatriz da sarna. São várias situações para determinar se está puro ou impuro. Há outras enfermidades da pele: tinha, impetigem. As pessoas cometidas pelas enfermidades da pele ficam afastadas do acampamento. A Torá relata a chaga da lepra e também pode se estender às vestes de lã, linho, urdidura ou de couro e, neste caso, deverão ser queimados pois é lepra maligna. Esta parashá termina com a declaração de pureza e impureza para este tipo de lepra…

É provável que o termo lepra para traduzir Tzaraat seja aproximado, pois os indícios dos sintomas não são exatamente iguais. Entretanto, pode ser também que os sintomas naquela época eram específicos… Sem embargo, o que importa é o preceito em si e o ensinamento de que podemos depreender. É consenso entre nossos sábios que esta enfermidade tem origem espiritual (maledicência, perjúrio, libertinagem, orgulho, roubo e ciúmes) não material. Tais condutas espirituais destroem a vida. Afinal “…não há paz para os maus, disse o Eterno” (Isaías 48:22). O Cohen também tinha a função de direcionar as pessoas para o caminho dos preceitos da Torá, dando-lhes conselhos e ajudando-os a seguir os caminhos da retidão. Dessa forma, devemos examinar nosso comportamento e pensamentos para o bem comum de todos e não esquecer que esta busca é contínua e incessante; devemos conhecer nossas dificuldades e não alimentar os maus pensamentos e a prática em desacordo com a Torá. Portanto, devemos cuidar do que fazemos e dizemos para que não deixemos de evoluir espiritualmente.

Shabat Shalom Umevorach VeChodesh Tov

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s