Parashat Devarim

Devarim

Marcos “Moti Sefaradi” Wanderley

Devarim, o quinto e último livro da Torá, significa literalmente Palavras cujo título é bem apropriado, pois são vários discursos de Moshê Rabenu ao povo de Israel. Entretanto, outro nome foi suscitado como Mishnê Torá, ou seja, Segunda Torá ou Repetição da Torá (Devarim 17:18 e Yehoshua 8:32). Apesar de textos repetidos literalmente, o objetivo é a retomada dos principais temas, sobretudo os preceitos da Torá.

O livro de Devarim apresenta um relato objetivo com sintaxe mais complexa e é como se tudo tivesse passado pela boca de Moshê. Além disso, parece que o centro do discurso é voltado para a busca de um altar único para o serviço religioso. A Terra de Israel aparece como se já fosse conquistada.

Segundo dados históricos, este livro fora descoberto em 632, antes da era comum no Templo de Jerusalém. Essencialmente, o Livro de Devarim reflete o espetacular oratório de Moshê, didático e irrepreensível dos cinco livros mais revolucionários da história mundial para a época, devido aos pressupostos de respeito ao ser humano, descritos nesta obra magnânima que a Torá.

A Parashá de mesmo nome do livro, inicia-se após uma curta introdução do discurso de Moshê Rabenu ao povo de Israel. Há a recordação das aventuras no povo no deserto e a fidelidade às leis do Eterno.

É válido salientar, que o valor histórico também é sem precedentes dada às constatações arqueológicas que corroboram várias afirmações nos livros da Torá. Por exemplo, Cades Barnea foi mencionada inúmeras vezes no livro de Bamidbar, é um oásis no deserto setentrional do deserto do Sinai, de grande importância para o povo hebreu.

Faltam cinco semanas para o fim do ciclo de vida de Moshê. Ele mostra o valor das Mitzvot (ensinamentos) transformando totalmente a vida dos israelitas em algo totalmente novo e independente em sua própria terra, diferente do que se vivia em Mitzraim e no deserto. A Torá enfatiza a importância da equidade e imparcialidade que os juízes devem ter no momento do julgamento. Há também a importância de não esquecermos do que aconteceu contra aqueles que desrespeitaram ao Eterno e seus preceitos e o preço que pagaram pela consequência de seus atos.

O povo de Israel deu voltas no deserto durante quarenta anos até chegar até a Terra prometida, pois aquela geração não deveria entrar pelas faltas cometidas. Em alguns momentos, o povo ignorou as advertências do Eterno ante a impossibilidade de uma determinada geração entrar na Terra Prometida. Yehoshua é o sucessor de Moshê Rabenu para liderar o povo, todavia o Eterno não deixou de estar até hoje ao lado de nosso povo.

O texto evidencia uma arraigada interação entre o povo de Israel e o Eterno, uma aliança perpétua que reafirma, entre todas as mazelas que o nosso povo sofreu e continua sofrendo pela discriminação, antissemitismo, antissionismo, o extremismo religioso de outras instituições religiosas etc. O povo judeu deve estar cada vez mais unido e a nossa Terra Prometida foi cumprida pelo Eterno pois é nosso refúgio é um a realidade concreta e símbolo de uma identidade, honra e unidade, ainda que estejamos na diáspora. Faz-se necessário estarmos atentos aos acontecimentos do nosso cotidiano em todo o mundo e percebermos que devemos vivenciar o judaísmo em todos os âmbitos de nossa riqueza cultural e religiosa, reafirmando nossos laços com os membros de nossa comunidade local, nacional e mundial…

Enfim, que sejamos sempre sábios, estejamos sempre irmanados e cresçamos espiritualmente em todas nossas atitudes de acordo como os preceitos da Torá…

Shabat Shalom Umevorach

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s