Parashat Vayigash- Entender seus próprios sonhos

Bereshit (Genesis) 44:18 – 47:27

parashat-vaygash
Rogério Palmeira

Esta parashá começa com Judá (Yehuda) pedindo autorização para se aproximar de José (Yosef)- daí o nome Vayigash (em hebraico: וַיִּגַּשׁ, cujo significado é “e ele se aproximou” ou “então ele se aproximava”, a primeira palavra da Parashá).  Judá conta   história de sua família;do estado de seu  pai idoso, Jacob em casa,ainda lamentando por seu  irmão ‘morto’ José,  A proposta de José de quem devem partir e deixar Benjamin no Egito,como refém, tem um profundo efeito sobre os Filhos de Israel. Deste modo,  com medo de perder  seu irmão caçula ,Benjamin e aumentar mais ainda a angústia de Jacó (israel).   Judá descreve dramaticamente sua situação a poderoso governante do Egito, sem saber que era seu irmão José. Pergunta “  posso destruir o que resta da vida de meu pai voltando para casa sem seu amado Benjamin?”.  Mostrando uma disposição ao auto-sacrifício, propõe uma  solução:” Vou ficar aqui como seu escravo, e deixe Benjamin e meus irmãos irem.”.

José percebe o arrependimento dos seus irmãos e em lágrimas, revela sua verdadeira identidade  .Judá transparece um senso de responsabilidade  e assume o peso  das consequências de seus atos, o que antes não ocorrera na história com José.

É importante também Lembrar  que foi Judá que também propôs tirar José  do poço e vendê-lo, impedindo assim sua morte.  Rubem por seu turno, anteriormente convenceu os irmãos que era melhor jogar José ao poço que  matá-lo. Em  um grupo  toda responsabilidade  deve ser  partilhada, mas a ação da liderança  pode evitar que se perca controle. No fundo ao propor jogar José ao poço,Rubem pretendia resgatá-lo posteriormente.  Porém as coisas nem sempre saem como planejado e ele não teve a coragem necessária para estabelecer sua liderança e impedir que qualquer mal fosse impetrado a José.  Entender este fragmento da história, é necessário para se entender o  estratagema de José.  José coloca seus irmãos em uma nova situação em que devem pesar entre seus próprios interesses, seus medos e as consequências disso ao outro,a sua família,ao seu povo.  José tenta aliviar o sentimento de culpa de seus irmãos, explicando que graças aos inúmeros sofrimentos que passara, pode assumir uma posição privilegiada, que permitiu com sua sabedoria salvar milhares de vidas, não apenas no Egito,mas também em Canaã,onde habitava sua família. Percebeu que seu  sofrimento era apenas uma pequena parte de um plano divino maior.. O filósofo medieval Nachmanides( Ramban,Espanha-1194-1270.)esclarece que José considerava como divina sua capacidade de decifrar sonhos. Mas durante muito tempo ele não foi capaz de decifrar seus próprios sonhos. Precisou ganhar maior clareza, maior senso de si mesmo e sobretudo mais humildade para que como sonhara um dia, as 11 estrelas ( seus 11 irmãos) pudessem se curvar perante seu poder. Abandonar Canaã e deste modo salvar   o futuro dos filhos de Israel.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s