Brit Shalom – Brit Shalem

por  Rogério Palmeira

Parashat Pinchas,  Bamidbar 25:10 – 30:1

 

Dando continuidade aos acontecimentos da parashah anterior, O Eterno Oferece a Pinhas uma Aliança de Paz( brit shalom),  após ele ter punido com a morte Zimri, líder da tribo de Shimon por seu envolvimento sexual com uma mulher midianita. Este acontecimento dá fim a uma praga que assolava a comunidade.  Depois da morte dos idólatras na parashat anterior, D’us ordena um censo de todos os filhos de Israel a partir dos 20 anos de acordo com a ‘Casa de seu Pai’. E a partir deste censo as porções de terra que caberá a cada família é determinada.  Durante este processo, as 5 filhas de Zelophehad, procuram  Moshé e Eleazar, o Kohen, questionando a lei de distribuição de herança, já que seu Pai morrera no deserto, realçando que ele não estava entre os aliados de Korach.  O pedido era simples e complexo ao mesmo tempo, queriam receber elas mesmas, a porção de Terra em nome de seu Pai, que morrera sem filhos, desafiando assim toda uma tradião legal.  Moshé leva a demanda para o Eterno, que reconhece como justa o pedido das mulheres e concede demanda.  Esta concessão é um enorme avanço aos direitos da mulher e planta-se uma semente que germina a cada geração através dos séculos no caminho da Igualdade.

Nesta parashah ouvimos pela as últimas palavras de Moshé a D’us. Depois só ouviremos Moshé relatando seus diálogos. D’us orienta a Moshé a escolha de Josué Ben Nun, como seu sucessor e sua apresentação perante toda Kehilah. Esta parashah traz ainda as Mitzvot referentes a Pessach, Shabat, Rosh Hodesh( Lua Nova no início de cada mês), Shavuot e o Yom Kippur.

No começo da parashah, lemos sobre a Brit Shalom oferecida a Pinhas. Entretanto muitos comentaristas chamam atenção que a Letra Vav na palavra Shalom tem uma pequena irregularidade, como a demonstrar que a Paz advinda de atos violentos, não pode ser completa. Outros realçam ainda que o Brit Shalom, não é uma recompensa e sim uma oferta de reconciliação de Pinhas com seu próprio coração, afinal em suas funções sacerdotais Pinhas tem que lidar com assuntos sagrados. Assuntos sagrados não combinam com  violência, sendo incompatível portanto com  qualquer Aliança de Paz. De maneira similar o Talmud , no tratado Kidushim 66b,  contrapõe as palavras Shalom( Paz) e Shalem( completo, perfeito, integral) ,instigando-nos a  lermos  de modo alternativo  que ignorando o  Vav imperfeito da palavra  Shalom,enxergando a  palavra Shalem.  Surge uma nova proposta, oferece-se a Pinhas uma Brit Shalem, Uma Aliança Completa, Brit Shalem, que promova um Homem  Integral em suas ações   e  aí sim poderá haver uma Brit Shalom, uma Aliança de Paz.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s