Shemot

Por Moysés sadigursky

Esta é a primeira Parashá do segundo livro da torá denominado de êxodo.

A Parashá Shemot (nomes) começa citando os os nomes dos filhos de Jacob que vieram ao Egito com ele, cada um com a sua família. Vieram: Rubem, Simão, Levi e Judá; Issachar, Zebulun e benjamim; Dan e Naftali, Gad e Asher num total de 70 descendentes de Jacob.

Os estudiosos interpretam esta repetição, já que foram citados previamente em Gênesis 46.8, ao fato deles terem resistido a assimilação e permanecido fiéis aos ensinamentos dos patriarcas. Inclusive José não se desviou das tradições da casa paterna mesmo quando exercia o cargo de vice-rei do Egito.

Morreu José e todos os seus irmãos e toda aquela geração. Entretanto os filhos de Israel frutificaram, aumentaram, multiplicaram-se e fizeram-se fortes.

Um novo faraó que não conheceu José assumiu o trono do Egito. E disse o novo faraó que o povo filho de Israel era mais forte e numerosos que eles. Havendo guerra poderiam se juntar aos inimigos e assumirem a terra do Egito. Ordenou que afligissem o povo de Israel com altas cargas de trabalho edificando as cidades armazéns, a Píton e a Ramsés.

Quanto mais afligiam ao povo este se fortalecia e se multiplicava. Fizeram o povo de Israel servir aos egípcios com todo tipo de trabalho pesado com barro, tijolos e com trabalho de campo.

E disse o faraó às parteiras hebréias (Shifrá e Puá) “quando servirdes de parteira às hebréias, se for filho mata-os e se for filha deixa viver. As parteiras temeram a d’us e não obedeceram ao faraó.

Ordenou então o faraó a todo o seu povo para lançar ao Nilo todo filho que nascer e deixar viver toda filha.

Uma filha de Levi concebeu e deu à luz a um filho e escondeu-o por 3 meses. Não podendo mais escondê-lo, tomou um árcade junco e vedou com betume e colocou o menino nela, deixando na beira do rio Nilo. Ficou de longe a sua irmã para ver o que acontecia. A filha do faraó que se banhava no Nilo viu a arca e mandou sua criada pegar e lá tinha uma criança que chorava. A irmã pergunta à filha do faraó se ela quer que chame uma ama hebreia para amamentar o menino. Concordando manda buscar e a irmã traz a mãe do menino. E cresceu o menino que foi para a filha do faraó como seu filho e chamou-o de Moisés.

Moisés cresceu e foi ter com seus irmãos e viu as pesadas tarefas que eram submetidos. Viu um homem egípcio ferindo um homem hebreu. Olhou para todos os lados e não havendo ninguém matou o egípcio e o escondeu na areia. Saiu no dia seguinte e viu que dois homens hebreus estavam brigando e disse ao mau: “porque feres o teu próximo?” O homem mau respondeu: “quem te pôs como chefe e juiz sobre nós? Pensas matar-me como mataste o egípcio?”

Temeu Moises vendo que o caso tinha sido conhecido. O faraó soube do caso e procurou matar Moisés que fugiu e foi para a terra de Midian. O chefe de Midian tinha sete filhas que vieram ao poço tirar água para dar de beber ao rebanho do seu pai. Vieram os pastores e as expulsaram, mas Moisés salvou-as e deu de beber aos animais. Elas foram a Reuel (Jetro) seu pai que disse porque voltaram mais cedo hoje? Elas disseram: um homem egípcio livrou-nos da mão dos pastores e deu de beber ao rebanho. Jetro então perguntou: onde está ele? Chamai-o para que coma pão.

Aceitou Moisés a morar com Jetro que deu sua filha Tzipora para Moisés. Tzipora deu à luz a um filho que foi chamado de Gerson.

Morreu o rei do Egito e suspiraram os filhos de Israel pelo trabalho e gemeram e subiu os seus clamores a Deus que lembrou de sua aliança com Abrahão, Isaac e Jacob.

Moisés estava pastoreando o rebanho de Jetro e conduziu o rebanho para Horeb o monte de Deus. Apareceu-lhe o anjo de Deus numa chama de fogo numa sarça. A sarça ardia, mas não se consumia. Aproximou-se Moises e Deus disse: “não te chegues para cá. Tira teus sapatos porque o lugar que estás é terra santa. Eu sou O Deus do teu pai, O Deus de Abrahão, de Isaac e Deus de Jacob. Eu desci para livrar o povo do poder do Egito e para o fazer subir para uma terra boa e espaçosa, uma terra que emana leite e mel, para o lugar do cananeu e do Hiteu e do Amoreu e do Perizeu e do Jebuseu.

Agora te enviarei ao faraó e tira o meu povo, os filhos de Israel do Egito.

Disse Moisés: quem sou eu que irei ao faraó para tirar o povo do Egito? Disse Deus eu estarei contigo e depois de tirar o povo do Egito servireis a Deus sobre este monte.

Moyses indaga o que dirá quando perguntarem qual é o nome do Deus dos nossos patriarcas e Deus responde “serei o que serei”

Irás tu e os anciãos de Israel ao rei do Egito e dirás: o eterno Deus dos hebreus nos encontrou e agora iremos com a distância de três dias no deserto oferecer sacrifícios ao eterno nosso Deus. Sei que ele não vos deixará e estenderei a minha mão e ferirei ao Egito com todas as minhas maravilhas que farei no meio deles e depois vos enviará.

Disse Moises: eles não acreditarão em mim e o eterno respondeu o que é isto em tua mão. Uma vara disse Moisés. Joga no chão e a vara virou uma cobra. Agora pegue na cauda e Moisés assim fazendo voltou a ser vara. Caso não te ouçam tomarás das águas do Nilo e derramarás no seco e as águas tornar-se-ão sangue. Insiste Moises dizendo rogo senhor, o teu servo é pesado de boca e pesado de língua.

Volta a insistir o eterno: vai-te, eu estarei contigo e te ensinarei o que hás de falar. Continua resistindo Moises e o eterno fica irado, mas concorda em que Moisés vá em companhia de seu irmão Aarão e ele falará as palavras que colocarei na sua boca.

Voltou Moisés para Jetro seu sogro e comunicou que ia voltar a seus irmãos no Egito e ver se ainda estão vivos.

Disse o eterno a Moisés: volta ao Egito pois morreram todos os homens que procuravam a sua alma. Tomou Moisés a sua mulher e seus filhos e os fez montar sobre o jumento e voltou para a terra do Egito.

Disse o eterno a Aarão vá ao encontro de Moisés no deserto e o encontrou no monte de Deus onde Moisés lhe disse todas as palavras e os sinais que o eterno lhe passou,

Moisés e Aarão foram ao encontro dos anciãos e Aarão reproduziu as palavras e os sinais que o eterno ordenara. E acreditou o povo.

Moisés e Aarão foram ao faraó e disseram: assim falou o Deus de Israel: envia meu povo e que festejem para mim no deserto. E disse o faraó: quem é o eterno para que eu escute a sua voz e envie Israel? Não conheço o eterno e também não mandarei israel. Ordenou o faraó que o povo providenciasse eles próprios a palha para fazer os tijolos e que não fosse reduzida a quantidade.

E voltou Moisés ao eterno e disse: Senhor porque fizeste mal a este povo? Para que me enviaste? Desde que vim ao faraó para falar em teu nome, foi mal para o povo e salvar, não salvaste o povo.

E disse o eterno a Moisés: agora verás o que farei ao faraó, que com mão forte vos enviará e com mão forte os desterrará de sua terra.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s